sábado, 24 de janeiro de 2009

Há por aí alguém com pachorra para me explicar o que é que há de "fracturante", ou de "questão de consciência complicada", no casamento homossexual?











E estava aqui o Aristes convencido que isto de casar ou não casar, era coisa que dizia respeito a quem queria, ou não queria, casar ou não casar, e afinal se os dois casantes forem do mesmo balneário, alto aí, então é coisa “fracturante”, é coiso e tal e “questão de consciência complicada”.


E quando me recordam que a lei não deixa, não sei porquê vêem-me à ideia aquelas leis que havia no EUA e na África do Sul em que, branco não casava com negra, e negro com branca, isso então era melhor nem sequer pensar.

E com medo de que pessoal se esqueça dele, aí vem outra vez o avô do regime botar sentença: "Os casamentos entre homossexuais são (questões) de consciência complicadas, ... eu estaria mais inclinado, se estivesse na minha mão, … para acabar com as desigualdades sociais, dar mais prestígio ao trabalho, aos trabalhadores e aos sindicatos". Ó homem, então porque é que não se inclinou, quando tinha a faca e o queijo na mão?

5 comentários:

Anónimo disse...

Pena o Haider ter morrido.

Na Áustria foi lei dele.
( Normal: casamento é coisa reaça e burguesa ).

Lololololol...


Bom fim de semana.


www.bandeiranegra1.wordpress.com

Spartakus.

F. Penim Redondo disse...

Há por aí alguém com pachorra para me explicar para que é que serve o casamento seja de quem for?

setora disse...

Serve para quê? É tudo questão de dinheiro. Casam-se para organizar o orçamento (e há toda uma indústria montada à volta)e descasam-se com a mesma finalidade (numa falência ou outras jogadas financeiras o divórcio permite pôr os "bens" a recato no nome do outro). É uma instituição que foi servindo bem o sistema reinante.
Com a crise em crescendo vai perder o sentido porque na realidade não serve para nada.

Alien David Sousa disse...

Aristes, antes de mais há que dar desconto a esse senhor.Eu nem sei se alguém aindo o leva a sério?

Quanto ao casamento entre homossexuais é mesmo como tu mencionaste no texto. Em tempos um negro casar com uma mulher branca era impensável. O que me faz confusão é que as mentalidades no primeiro caso estão a demorar tempo demais para mudar.

Eu vejo as coisas assim. Se eu sou passada dos carretes para querer casar amanhã e não encontro barreiras para o fazer, porque motivo não pode o meu vizinho que é homossesual se passar também e decidir que quer casar e poder fazê-lo? Discriminação.É a palavra.

Saudações alienígenas

Aristes disse...

Corações empedernidos. Eu com uma trabalheira do caraças para encontrar uma daquelas fotos luminosas, a escorrer felicidade pelos quatro cantos, e voçês népia, que o casamento é isto e mais aquilo.
Já sabem, se algum dia mudarem de ideias, comigo é que não casam, juro.

PS: O Costa, e os outros da Moção estão assim a modos que desactualizados, parece que já ninguem dá para estes peditórios. Se não conseguem fazer melhor que isto, o chefe ainda os manda ir fazer moções para outra freguesia.